Thursday, March 26, 2015

TEORIA DO CAOS: a importância de cada um de nós


“É uma das leis mais importantes do Universo, presente na essência de quase tudo o que nos cerca. A idéia central da teoria do caos é que uma pequenina mudança no início de um evento qualquer pode trazer conseqüências enormes e absolutamente desconhecidas no futuro. Por isso, tais eventos seriam praticamente imprevisíveis - caóticos, portanto.”  (Mundo Estranho - Editora Abril, 2012[1]).

Essa teoria teve grande impulso com a descoberta do meteorologista americano Edward Lorenz, na década de 1960, ao observar mudanças dramáticas a partir de uma pequena variável em sua fórmula que simulava a movimentação de massas de ar na atmosfera. Foi sua a declaração de que a pequena mudança em casas decimais em sua fórmula causou um efeito tal, como se “uma borboleta batesse as asas no Brasil e isso resultasse em um tornado no Texas”. Mal compreendida a frase, usada apenas como exemplo figurativo, não corresponde, de fato, à realidade, uma vez que o deslocamento de ar causado pelo bater de asas de uma borboleta é insignificante mediante a densidade do ar, que é mil vezes superior. Entretanto, isso não invalida a teoria, que pode ser comprovada em diversos campos da ciência e até mesmo observada em nossas experiências diárias. 

A ocorrência de um pequeno evento, como, por exemplo, uma tomada de decisão sobre que caminho escolher para ir ao trabalho, pode resultar em eventos que resultariam na própria sobrevivência, em caso de possíveis acidentes, ou em encontrar pessoas diferentes, que poderiam lhe trazer novos relacionamentos pessoais, dirigindo sua vida a novos futuros possíveis e imprevisíveis.

Essa teoria se alinha a outras levantadas no passado, algumas baseadas em pesquisa científica, outras em crença popular ou religiosa. Uma dessas teorias denomina-se “Sincronicidade” e foi desenvolvida por Carl Gustav Jung. Jung acreditava que existe uma relação entre os eventos psíquicos e os físicos, sendo essa relação baseada em uma “ligação” realizada por “operadores”, esses sim, estabelecendo uma relação de causa e efeito, tendo como resultado físico aquilo que se gerou na psique humana.

Outro argumento de Jung especialmente notório é de que essa sincronicidade permite que todos nós possamos testemunhar o Criador e suas obras pelo fato de termos refletido em nosso inconsciente, todo o Cosmos, como conhecimento que adquirimos sem referenciais anteriores: a sincronicidade já existia antes de nossa criação.

"Não posso provar a você que Deus existe, mas meu trabalho provou empiricamente que o "padrão de Deus" existe em cada homem, e que esse padrão (pattern) é a maior energia transformadora de que a vida é capaz de dispor ao indivíduo. Encontre esse padrão em você mesmo e a vida será transformada." (C.G. Jung)

Mas, não somente no passado encontramos similaridades, pois, a evolução da física nos traz, mais uma vez, esse princípio, através das descobertas da física quântica.

“Fritjof Capra, Ph.D., físico e teórico de sistemas, revela a importância do observador na produção dos fenômenos quânticos. Ele não só testemunha os atributos do evento físico, mas também influencia na forma como essas qualidades se manifestarão. A consciência do sujeito que examina a trajetória de um elétron vai definir como será seu comportamento. Assim, segundo o autor, a partícula é despojada de seu caráter específico se não for submetida à análise racional do observador, ou seja, tudo se interpenetra e se torna interdependente, mente e matéria, o indivíduo que observa e o objeto sob análise.” (Infoescola[2]).

Todas essas teorias nos indicam que existe uma forte ligação entre todos os elementos no universo e, sim, tudo o que fazemos, ou deixamos de fazer, traz consequências e define eventos futuros. Isso explica a lógica da natureza e seu necessário equilíbrio que, ameaçado, trás consequências e implicações na nossa qualidade e expectativa de vida. Sendo assim, devemos pensar no que fazemos, nas nossas agressividades, pois, certamente, não são boas influências e isso pode significar um futuro com más consequências e, como já vimos, totalmente imprevisíveis.

Lembro-me sempre da cantora Karen Carpenter, vocalista do conjunto musical americano The Carpenters que fez muito sucesso nos anos 70. Karen morreu jovem ainda, vítima de anorexia, após uma crise depressiva gerada por comentários de uma jornalista sobre sua aparência física.  Sua linda voz ainda pode ser ouvida nas gravações que deixou, triste lembrança de uma vida de sucesso interrompida por um comentário infeliz.

Também vale citar uma frase dita em uma palestra no evento do CONARH, no ano de 2014, pelo presidente do instituto Brasileiro de Coaching , José Roberto Marques, a quem tive a felicidade e o privilégio de conhecer: “ainda que você não queira influenciar o mundo e decida ficar parado numa praia, olhando para o mar, sua presença física irá mudar o curso do vento e, atrás de você surgirá, após algum tempo, uma duna de areia”.

Os avanços no conhecimento científico trazem hoje cenários e conceitos que de são, de longe, muito mais inesperados e inquietantes do que qualquer tipo de misticismo ou ficção. O curioso é que mostram-nos, cada vez mais, a importância que temos no meio em que vivemos.








[2] Fisica Quantica, Infoescola, disponível em http://www.infoescola.com/fisica/quantica/ , visitado em 26/03/2015.

No comments: