Sunday, September 14, 2014

FEIRA DO PRÍNCIPE: A Volta da Feira de Artesanato à Rua do Pŕincipe

Em 19 de março de 2013, publiquei um resumo da dissertação que fiz sobre a Feira de Artesanato na Rua do Príncipe (Joinville/SC).  Em 1986, um calçadão foi construído naquela rua, sendo reivindicado pelos artesãos, que passaram a ocupar o espaço com a intalação da Feira de Artesanato. 

Em 2004, entretanto, o mesmo calçadão é destruído, sob discursos semelhantes por parte do poder público que curvou-se, nos dois momentos, a pressões de grupos organizados e com objetivos em rota de colisão - Ajart x CDL ( http://abeidresume.blogspot.com.br/2013/03/uma-rua-em-disputa-rua-do-principe.html ).

O ano de 2014 trouxe de volta a Feira de Artesanato à Rua do Príncipe, ocupando, desta vez, o asfalto e espalhando-se pelas ruas centrais.

O retorno da Feira de Artesanato é ainda tímido, quando comparado ao que já representou essa feira no passado, mas parece abrir mais uma vez as portas para que a tradição retome à Rua do Príncipe.

Seguem fotos tiradas no local, em agosto de 2014.


A Feira do Príncipe se instala no segundo domingo de cada mês, fechando o centro da cidade.




As tendas se espalham pelo centro histórico preservado - uma afronta velada numa cidade que se vê industrial, mas que busca investimentos externos através do turismo, caminho inevitável na contemporaneidade.




A "Rua das Palmeiras", caminho que leva ao Museu da Imigração e da Colonização, ou, mais conhecido como "Museu do Príncipe", é também invadida por artesãos - um caminho dirigido para a contemplação do espaço enobrecido.




Grupo musical local se apresenta em meio à Feira de Artesanato.






Artesanatos, alimentos e brechós ao ar livre.

Notei falta do "Joe", protagonista da primeira Feira de Artesanato nos anos 70. "Joe" ainda está no espaço da biblioteca pública, durante os dias de semana. Em conversa com ele, soube que não compartilha com a Ajart, além do fato de que as regras não incluem artesanato em metais, objeto de seu ofício.